sábado, 27 de agosto de 2011

Venda de medicamentos controlados

Hoje vou falar sobre a venda de medicamentos controlados, do ponto de vista de quem está atrás do balcão da farmácia: os farmacêuticos (e seus companheiros de trabalho).

Trabalhar com medicamentos controlados não é a coisa mais agradável do mundo! Muita documentação, legislação, detalhes... Tudo deve estar certinho! Caso contrário, o farmacêutico e o gerente podem até sair algemados, nos casos mais graves! Indiciados por tráfico de drogas!!!

Mas estou escrevendo este post-desabafo, inspirado pelo que aconteceu comigo ontem. Entrou um casal de clientes na farmácia. O senhor já era bem conhecido nosso, um cliente costumeiro. A mulher que estava com ele não, era a primeira vez que eu a via. Ele até comentou: "Esta é a minha esposa"... Pois bem. Ela sacou uma receita azul (na verdade uma notificação) da bolsa. Facilmente percebe-se que se trata de algum medicamento tarja-preta. A funcionária que a atendeu buscou o medicamento, e  trouxe-me a receita para que eu pudesse conferi-la. Neste momento, notei  que a data estava rasurada...

Pausa para explicações:

As receitas de medicamentos controlados têm validade de 30 dias. Depois disso, elas não podem mais ser usadas. Também não podem conter rasura. Nem na data, nem no nome do medicamento, nem na quantidade, nem na dosagem... Em nada! Não fui eu que inventei isso! É lei:

Portaria 344/98 - CAPÍTULO V - Art. 35


§ 3º A Notificação de Receita deverá estar preenchida de forma legível, sendo a quantidade em algarismos arábicos e por extenso, sem emenda ou rasura.

§ 4º A farmácia ou drogaria somente poderá aviar ou dispensar quando todos os itens da receita e da respectiva Notificação de Receita estiverem devidamente preenchidos.



Continuando a história...

Então, fui obrigado a informá-la de que o medicamento não poderia ser vendido, porque havia uma rasura na data (2 tons de azul formando um 8 sobre o que parecia ser um 6 - uma rasura bem grosseira, diga-se de passagem! Já vi melhores...)! Pronto! Começou o escândalo:

(Legenda: Eu, o Gerente, a Senhora, o Marido. As frases todas em maiúsculas significam GRITANDO. Sim, a mulher estava um tanto alterada...)

- AONDE VOCÊ VIU RASURA AQUI?
- Minha senhora, na data! Tem 2 cores de caneta aqui...
- MAS O MÉDICO PREENCHEU NA MINHA FRENTE! EU VI!
- Tudo bem, mas mesmo que ele próprio tenha rasurado, não posso aceitar a receita.
- VOCÊ ESTÁ IMPLICANDO COMIGO!!! (Paranóia???)
- O que aconteceu?
- ELE ESTÁ FALANDO QUE A RECEITA ESTÁ RASURADA!
- Onde está a rasura?
- Aqui na data, senhor...
- Mas você não vai vender por causa disto?
- Pois é, senhor. Infelizmente não posso.
- Mas eu já compro aqui há muito tempo, você me conhece... Não dá pra dar um jeito?
- Não tem como! É a lei! O senhor quer que eu passe por cima da lei?

Pausa  #2 - Comentários

Brasileiro reclama que os políticos enganam, roubam o povo, etc. Mas quando é com eles, aí pode tudo! Pode passar por cima da lei, fazer o que for preciso para levar alguma vantagem. É o famoso (e abominável) "jeitinho brasileiro"...

Continuando...

Nisso, entra o gerente, perguntando o que estava acontecendo. Mostro a ele a receita, explico a situação. E ele corrobora minha opinião:

- É verdade, senhores. A receita está rasurada.
VOCÊS NÃO QUEREM ME VENDER O REMÉDIO!!!
- A troco de quê não venderíamos? Aqui é um comércio, precisamos vender coisas! Se não estamos vendendo, é porque tem algum motivo, concorda?
- VOCÊS IMPLICARAM COMIGO!
- Quem foi que viu a rasura?
- Fui eu, senhor.
- Tudo bem. Se vocês não vão me vender, eu nunca mais volto aqui. E vou avisar minha família pra nunca mais voltar aqui.
- É um direito seu.
- E tem mais. Meu filho trabalha na Polícia Federal. Espero que esteja tudo certo aí na sua farmácia... (uma ameaça???)

Infelizmente, este não é um caso isolado. Sempre que acontece algum tipo de problema com a receita, que inviabiliza a dispensação do medicamento, as pessoas parecem ficar anormalmente alteradas! Eu não estou recusando a venda porque eu quero, ou porque não fui com a cara do cidadão! Eu simplesmente não posso vender!

E quero aproveitar para dizer que, embora haja muita gente falsificando receitas, grande parte dos problemas é causada pelos médicos! Muitas receitas são preenchidas de maneira incorreta. Isso gera situações constrangedoras para quem vende os medicamentos, e desagradável para o paciente que precisa tomar seu remédio e não pode comprá-lo por um erro estúpido.

Médicos, por favor! Vocês sabem o que deve ser feito ao preencher as receitas! Muitas vezes, nem a data é colocada! E o paciente fica realmente indignado (e com razão) por não poder comprar o remédio apenas porque a data não foi preenchida!

Pacientes, cobrem de seus médicos o preenchimento correto de suas receitas (inclusive de forma legível), para evitar transtornos na hora da compra!

Mas não tentem dar um jeitinho na hora da compra! Se quisermos viver num país melhor, não será passando por cima das leis que alcançaremos este objetivo. Pensem nisso...





65 comentários:

  1. Falando em medicamentos controlados, queria te fazer uma pergunta: o remédio roacutan usado para espinhas é controlado, a farmácia precisa ter alguma autorização ESPECIAL para poder vender este medicamento ou é só ter licença para vender psicotrópicos? Sobre os efeitos do medicamento, qual os efeitos colaterais que ele causa?

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de parabenizar seu blog. Muito bem escrito com informações relevantes e de fácil para a comunidade não-profissionais de saúde.
    Sou, como vc, farmacêutico bioquímico e tomei a liberdade de indicar a página do amigo para todos os farmacêuticos meus conhecidos.
    Parabéns novamente e um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  3. "!Famoso e abominável jeitinho brasileiro".
    Muito bem lembrado nesta situação.

    Tenho um amigo religiosamente contra o aborto mas...qdo aconteceu com a filha dele, ele tentou de tudo para que ela o fizesse afinal, ele estava só pensando no bem do futuro dela...e ficou indignado por não conseguir convencê-la.
    Sempre "um peso e duas medidas"
    Temos que estar em paz com nossa consciência senão seremos cada vez mais roubados, lesados.
    Mais cedo ou mais tarde o tiro sai pela culatra, pode esperar.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom site, eu sou operador de caixa.
    - Um amigo meu balconista mal foi promovido vendeu medicamento controlado na dosagem errada, contudo todas as receitas são conferidas pelo farmacêutico e gerente. a quem cabe a punição?

    ResponderExcluir
  5. Todos estão errados, mas o farmacêutico é o responsável pela dispensação, em especial a dos medicamentos controlados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (que ultrapassaria sem necessidade o número de comprimidos para este período de tratamento). Luiz Menezes, que período de tratamento é esse, e onde está prescrito esse período de tratamento?

      Excluir
  6. Muito boa a sua experiencia relatada no trato com medicamentos. Espero que vc me autorize a colocar uma cópia do assunto no nosso mural da Unidade de Saúde. Servirá de mais um alerta para a população. Aprender para prevenir.

    ResponderExcluir
  7. Claro! Está autorizado! Obrigado pelo seu comentário!!!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo post.
    Tb sou farmacêutica e convivo muito com essa situação desagradável.
    Acho que antes de cobrar tanto de nós farmacêuticos eles deviam orientarem melhor os médicos e a população em geral sobre a questão de receituário. Pq por incível que pareça ainda há muitos médicos que mandam medicamentos controlados em receitas comuns, e qdo vc recusa a venda o cliente não entende.

    ResponderExcluir
  9. Mas o que é isso? eu vivo diariamente isso na farmacia!

    Deixa eu relatar um caso aqui:
    Dia desses cheguei na farmácia para trabalhar e chegou um cidadão querendo comprar um medicamento controlado. Ele tinha a receita, mas acontece que ele esteve na farmacia no dia anterior a procuro do medicamento, mas estavamos em falta, entao foi feita a encomenda para o outro dia. Pois bem, ele chegou junto com os pedidos, e disse que veio buscar o seu medicamento, lhe informei que levaria somente alguns minutos, pois eu deveria ter que lançar a nota primeiro, para depois lhe efetuar a venda, foi nesse momento que a educação desse cidadao chegou ao fim, o cliente virou um primata, tentei argumentar com ele, mas nao havia jeito, lhe expliquei que eu era farmaceutico e tinha que fazer cumprir a lei, caso contrario eu responderia perante o caso, ai ele veio com o tal "jeitinho brasileiro", lhe expliquei que infelizmente nao haveria esse tal jeitinho, sendo assim ele acabou esperando eu lançar a nota e só depois lhe entregar o medicamento. Para concluir, nao perdi o cliente e fiz prevalecer a lei. Nao podemos nos entregar, devemos mostrar que somos farmaceuticos e para qual finalidade estamos ali. desculpe ter ocupado o seu espaço, parabens pelo blog.

    ResponderExcluir
  10. estou com uma duvida e gostaria de saber sevc saberia me dar uma resposta com amparo elgal ou norma da anvisa. pois bem o medico receitou medicamento receita amarela de 8 em 8 horas ou seja 3 por dia 90 por mes escrevendo ainda 3 caixas. ocorre que o referido medicamento possui caixa de 20 ou 60 comprimidos. o farmacceutico nao quer vender 2 caixas de 6o, nem quer vender 2 caixas de 20 e uma de 60 para que todo tratamento seja feito. apenas oferece 3 caixas de 20. saberia me dizer com base em que ele faz tal alegação pois na portaria 344/98 da anvisa nao estabelece a proibição de sobra e ainda que ele vendesse 2 caixas de 60 sobram apenas 50% dos comprimidos como comprar medicamento???w com base em que ele faz tal alegação?
    agradeço e aguardo contato
    mmsportugal@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como se trata de um medicamento controlado, precisa-se efetuar o lançamento da venda do produto através de um programa específico para isso no computador. Cada apresentação de um medicamento é tratada como se fosse um medicamento diferente. E a receita serve para apenas 1 medicamento. Portanto, não há como comprar 2 apresentações diferentes com a mesma receita. Nem deve-se ultrapassar o número de comprimidos do tratamento quando há apresentações que permitam chegar ao número adequado. Por isso, não pôde ser feita a combinação de apresentações (2 cx. com 20cp e 1 cx.com 60cp), e nem a venda de 2 cx com 60cp (que ultrapassaria sem necessidade o número de comprimidos para este período de tratamento). Espero ter ajudado!

      Excluir
    2. Bem, eu já acredito que vc poderá ter sérios problemas com o cliente caso ele mova uma ação contra vc judicialmente por não vender 1 caixa de 60 e 1 caixa de 20 comprimidos (venda aproximada sem ultrapassar o número de caixas ou tratamento). Realmente vc nunca deve ultrapassar o tempo de tratamento, a lei é clara, mas a lei não diz nada quanto a qtde de cp por caixa serem diferentes ou não para vc vender ou deixar de vender. Seu cliente ou até mesmo a população não tem culpa de desenvolvedores de programas sem competência que não aceitam apresentações de caixas diferentes para uma mesma notificação caso o cliente deseje, sem descumprir a lei.

      Excluir
  11. "nunca deve ultrapassar o tempo de tratamento, a lei é clara, mas a lei não diz nada quanto a qtde de cp por caixa serem diferentes ou não para vc vender ou deixar de vender" - quando fala de lei nesta expressa esta se referindo a qual lei? agradeço mais uma vez

    ResponderExcluir
  12. queria mto saber qual a diferença entre receita azul,branca e marela??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. receita azul são para medicamentos psicotrópicos de tarja preta, receita amarela são para entorpecentes e receita branca são para psicotrópicos!

      Excluir
  13. ESTA SITUAÇÃO É MUITO CORRIQUEIRA eu já passei por isso varias veses pois trabalho e farmacia e as pessoas não entendem a lei. precisariamos de campanhas de concietizaçao para a populaçao

    ResponderExcluir
  14. como funciona o armazenamento dos produtos controlados

    ResponderExcluir
  15. qual o procedimento do atendentes de farmacia ao vender produto controlado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ao vendermos produtos controlados temos que verificar a data da receita, se tem algum tipo de rasura ou fraude, dependendo da receita temos q conferir se o comprador tem o termo de responsabilidade, temos tbm q verificar o tempo de tratamento , a posologia, o lote do medicamento a ser dispensado, verificar se o medicamento é referencia ou similar..sendo smilar não podemos intercambiar..mais ou menos assim ..é um processo meio rigoroso, porem necessrario!

      Excluir
  16. EU como atendente de farmácia, passo por casos assim todos os dias. O que noto é que esse problemas ocorrem por falta de informação. O cliente não sabe como funciona a venda de controlados, e ninguém explica pra ele, e pra piorar, geralmente a pessoa precisa muito do medicamento. O ideal seria a pessoa ser orientada pelo médico, mas quase sempre o médico atende as pessoas correndo e acaba não fazendo o serviço de forma adequada.
    Quanto ao caso de vender caixas com comprimidos à mais ou à menos, é uma falha do médico, pois o médico tem que prescrever um tratamento com a quantidade exata da medicação. Caso a receita pessa uma quantidade incompátivel com o tratamento,na fármácia em que trabalho o procedimento usado é de vender à menos, e explicar o fato pedindo para que o paciente volte ao médico, já que o erro é do médico.
    Quanto à quantidade de medicamentos por receita, existem umas regrinhas. Se não me engano, remédios controlados não podem ser vendidos com quantidade superior à 60 dias de tratamento, com excessão dos anorecssígenos que não podem ultrapassar 30 dias de tratamento e anticonvulsivos que podem ser vendidos até 180 dias de tratamento. Não importa a quantidade de comprimidos, não se pode vender fora dessa regra dos dias de tratamento. Outro fato que deve ser observado é que se o médico determina uma quantidade de caixas menor que a do máximo de dias de tratamento, vale a quantidade de comprimidos, ou seja, se um médico prescreve Tylex, 1 cp de 12 em 12hs e marca uma caixa (caixa de Tylex tem 10cp cada,daria pra 5 dias no exemplo) não se pode vender mais de uma caixa, mesmo sendo possivel comprar até 60 dias de tratamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tylex vem com 12 comp, e máximo não é de sessenta dias e sim 30 dias.

      Excluir
  17. No caso dito acima sobre Roacutan, existem alguns medicamentos que precisam de um termo especial dado pelo médico, como no caso da sibultramina, na qual além da receita, o cliente precisa trazer um termo de responsabilidade, afim de garantir que o paciente está ciente de riscos especiais causados pelo medicamento. Cada medicamento que pede um termo adcional só pode ser vendido com a apresentação deste. O TErmo se constitui de 3 vias,nas quais uma fica com o médico, outra com a farmácia e outra com o paciente. Qualquer farmácia que trabalhe com psicotrópicos pode vendê-los, desde que siga as normas da ANVISA, que entre outras, diz que somente o farmacêutico pode mecher no armário de controlados e vendê-los, entre outras regrinhas. Isso já vai de encontro também com o caso de algum funcionário que não é farmaceutico vender um medicamento controlado errado. A farmácia deve sempre ter um farmacêutico presente e este é responsável pela venda dos controlados. Os controlados devem segundo norma da ANVISA, obrigatoriamente serem guardados em armários que devem estar sempre fechados e a chave em poder do farmacêutico responsável. Se alguém vende errado, a responsabilidade é do farmacêutico. Mas algumas farmácias podem dar algum tipo de reprezária pra quem vendeu errado, como por exemplo, perda de folga, mas não podem alegar a punição como causada pelo erro, apesar de no fundo, vc saber que é esse o motivo. Criminalmente somente o farmacêutico e o gerente respondem por venda errada de controlados.
    Quanto as cores das receitas é meio complexo, olha nesta página da ANVISA aqui http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/anvisa/busca/!ut/p/c5/jZDJboNADIafhQeIxqFhKEcyLMMSlhTCckEQAkUQoCVqRzx9QOo1qPbJ-vXZ8odStHSf_zR1_miGPu9QjFKcWT41dABecoN3BYxDcKaSRVxtv1_yBGfwomRYaaLL9CDay4yPBAxdcLDguwDuH_0y5_9ze2P7Nm2itO6GYvkxUq4tUwa5VlTlPM1H6GjBm-6gN6pJCv-UeLZw8t7aqpRYIIoDkRNghZdO9az4bHcZfe2760mFx6aPXFX7KvmYlz5CWpYX9gtOGcBjZ0-qY8kdte0r83CRfdKQQ9Hqe9vAmm_4dehwv6HxHobxfGsrmeOeNybe4g!!/?1dmy&urile=wcm%3apath%3a//Anvisa Portal/Anvisa/Trasparencia/Assunto de Interesse/Publicacoes Transparencia/FAQ - Perguntas Frequentes/Medicamentos Controlados Informacoes Gerais

    ResponderExcluir
  18. Mas em resumo, existem cores diferentes de receitas po vários motivos diferentes. As azuis só valem no estado em que foram emitidas, então se você tem uma receita azul do estado do Ceará, só poderá coprar com ela no Ceará. Já receitas brancas valem em todo o Brasil. Amarelas tem suas particularidades que não lembro agora.

    Quanto ao armazenamento de controlados: Os remédios devem ser comprados e lançados em um programa de computador especial, que envia uma cópia do seu estoque para a ANVISA e outra para a Receita Federal. Pela regra da ANVISA, os controlados devem ficar acondicionados em armários fechados e trancados,e a chave deve estar em poder do farmacêutico.

    ResponderExcluir
  19. Mas o problema que mais causa problemas nas farmácias em relação aos controlados é a falta de informação não só sobre o sistema de venda, mas também as regras que farmácia e paciente devem seguir.
    Primeiro: Os remédios controlados são tratados como se fossem uma droga ilícita (como a cocaína por exemplo), mas que podem ser vendidos sobre rigorosa supervisão e em último caso. Em geral porque podem causar morte, efeitos irreverssíveis ou dependência. Vender esses medicamentos fora das regras da ANVISA constitui crime de tráfico de dogras. A pena é de 12 anos e o farmacêutico e o gerente que são os responsáveis são presos sem fiança, na hora. Por isso,os responsáveis por vender controlados não arriscam erros.
    As regras da ANVISA quanto aos controlados é bem rígida, e qualquer erro pode dar cadeia.

    Preenchimento da receita:
    O nome deve estar legível e o médico pode ou não especificar a quantidade de caixas. Se ele não marcar a quantidade de caixas na receita, pode se vender quantas quiser, desde que não ultrapassem o máximo de dias de tratamento. Se o médico colocar a quantidade de caixas, esta prevalece, desde que não ultrapasse o máximo de dias de tratamento.

    ResponderExcluir
  20. Exemplo: O médico prescreve Fluoxetina, 3 caixas, 1 cp ao dia de manhã cedo. Nesse caso, a posologia é de um cp ao dia. Como o máximo de dias de tratamento com fluoxetina é de 60 dias, ele precisará de 60 cp. Existem caixas de 30cp e 20cp de fluoxetina, então se pode vender ou duas de 30cp, ou 3 de 20 cp, mas não pode vender 3 de 30 porque daria 90cp e isso ultrapassaria os 60 dias
    Continuando,o médico prescreve outra receita, mas desta vez o médico prescreve Fluoxetina, 2 caixas, 1 cp ao dia de manhã cedo. Nesse caso, a posologia é de um cp ao dia. Como o máximo de dias de tratamento com fluoxetina é de 60 dias, ele precisará de 60 cp. Mas a quantidade de caixas prevalece sobre a posologia, então só se poderia vender 2 caixas do medicamento. Ou se compraria 2 caixas de 30cp, ou duas de 20cp, três de 20cp não poderia.
    Se vender mais que a quantidade prescrita, é considerado tráfico de drogas. Se vender menos, é considerado crime também, pois o paciente não pode ficar sem o tratamento completo, a não ser que o paciente deixe por escrito e assinado que está ciente de estar adquirindo quantidade menor que a prescrita.
    Agora quanto ao medicamento prescrito:
    A maioria das pessoas acha que só existem dois tipos de medicamentos, os de marca e os genéricos, mas isso é errado. Os medicamentos são divididos em 3 tipos. O primeiro tipo é o medicamento de referência. O medicamento de referência é o primeiro medicamento feito. Ele é considerado o melhor dentre os 3 tipos. O segundo tipo é o dos genéricos. Apesar da maioria achar que os genéricos são os piores entre os 3 tipos, a verdade é que o genérico é o 2 melhor, só perdendo pro de referência. O medicamento pra ser considerado genérico precisa ser idêntico ao de referência. O genérico precisa ter a mesma quantidade de princípio ativo, o mesmo pico de concetração e de ação, a mesma meia vida e o mesmo tempo de eliminação do corpo. A única coisa que pode ser diferente do de referência é o excipiente (excipiente é o meio à qual o princípio ativo é colocado dentro do corpo. Por exemplo, o Tylenol tem o princípio ativo paracetamol e vem em cápsulas. O paracetamol está dentro da cápsula, e a cápsula é uma substância que permite que o paracetamol chegue inteiro ao estômago. A cápsula nesse caso é o excipiente.)O terciro tipo é o similar. O medicamento similar é um medicamento que tem o mesmo princípio ativo, porém, ele não tem nenhuma obrigação de ser igual ao de referência. Eles tem o mesmo princípio ativo e mesma quantidade que o de referência, e servem pra mesma finalidade, mas podem tem picos de concentração diferentes do de referência, meia vida diferente, eliminação do corpo diferente... Enfim,são diferentes.

    ResponderExcluir
  21. Após essa explicação, voltemos ao medicamento de receita controlada. De acorco com a norma da ANVISA,se um médico prescreve um medicamento de referência, você pode vender o de referência ou o genério, e se o médico prescreve o genérico, se pode vender o genérico ou o de referência, mas se o médico prescreve um similar, só se pode vender o similar prescrito. Se um médico prescrever uma receita com o medicamento Síbus, que é um similar, por exemplo só se pode vender o Síbus,não podendo substituí-lo por outro (Biomag, sibultramina.. etc...) Se o médico prescrever um de referência ou genérico, não se pode vender um similar.
    Quanto a posologia: precisa ser igual. Não se pode por exemplo estar prescrito um medicamento de 100mg e vc por não ter, querer vender 2 de 50mg. Não se pode também, vender medicamentos com ações diferentes. Por exemplo: Se o médico prescreveu Tegretol, não se pode vender o Tegretol CR.
    Quanto ao prenchimento:
    A receita de estar legível, sem rasura, e se tiver data, de estar dentro do prazo de validade da receita controlada que é de 30 dias. Se a receita foi escrita no dia 01, no dia 01 do outro mÊs ela já não vale, e se o mês tiver 31 dias, esse dia também conta na validade. A receita deve ter o a assinatura do médico, e o seu carimbo com seu CRM e tal. Se não tiver, não vale. A receita de controlado contém 2 vias, sendo que a primeira fica na farmácia e a segunda que é a xerox, fica com o cliente.(com os antibióticos, é a cópia que fica na farmácia). A Anvisa pede que tanto a via do cliente quanto a da farmácia tenham o nome do medicamento,apresentação, lote, data de vencimento do medicamento e assinatura do farmacêutico, mas em geral, o pessoal não preenche o lote e tal na via do cliente, porém, é obrigatório escrever que o medicamento foi dispensado. A farmácia não pode aceitar receitas preenchidas em outra farmácia, a não ser que o preenchimento seja marcado com um "X" e assinada pelo anulador da venda. As receitas que exijam coisas a mais, como termos e afins só podem ser aceitas com o termo. O tipo de medicamento não pode ser mudado, então se por exemplo, estiver pedindo Daforin comprimidos, não pode vender Daforin cápsulas. Acho que o principal é isso quanto a receita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juvenal, voce pode me passar a lei que rege que você explicou acima? Hoje eu tive um problema na Drogaraia. O medico prescreveu o Levoxin 500 mg, contudo a atendente não me quis vender o genérico dizendo que o medico deveria ter colocado na receita o genérico e não o de referência. Quero ir "armado" da próxima vez!

      Excluir
    2. Juvenal, voce pode me passar a lei que rege que voce explicou acima? Hoje eu tive um problema na Drogaraia. O medico prescreveu o Levoxin 500 mg, contudo a atendente não me quis vender o genérico dizendo que o medico deveria ter colocado na receita o genérico e não o de referencia. Por favor, me diga qual a qlei para poder ir "armado" da proxima vez!
      PAULO

      Excluir
  22. Quanto a cor das receitas:
    Existem receitas de várias cores, cada uma representa um tipo de medicamento. Não se pode vender medicamentos que não condizem com a cor da receita.
    Receita amarela: É usada para prescrever medicamentos intorpecentes. O máximo de dias de tratamento desta receita é de 30 dias, e pra comprar, tem que vir acompanhada de um termo com um mote de coisas e carimbos. É classificada como receita A1. Por falar nisso, não se pode aceitar receitas de tipos diferentes e cores diferentes da categoria do medicamento prescrito.
    Receita branca. Ela é para prescrever psicotrópicos. Ela vale em todo o território nacional, e é classificada como A3. Também pode ser usada para prescrever outros medicamentos de controle especial (classificados como C1),anabolizantes (classificados como C5), antiretrovirais e retinóicas de uso tópico(classificados como C4, mas acho que nem se vende antiretrovirais em farmácias normais), retinóicas de uso sistêmico (classificados como C2)e Talidomida (classificados como C3) Peguei uma de talidomida uma vez, o termo parecia uma bíblia de tão grande e extenso.

    Receita azul: é usada para duas categorias de controlados diferentes. Psicotrópicos de tarja preta (classificados como B1) e anorexigenos (Anorexigenos são classificados como B2). Valem somente no estado em que foi emitida.

    Não sei se tudo que disse está certinho, pois apesar de pegar controlados, não sou farmacêutico, só auxiliar de loja.

    Em geral, os cliente costumam reclamar de várias coisas, mas a maioria reclama que o remédio é só pra uma coisinha, como os que compram Tylex só pra tirar uma dor, e acabam esbarrando em toda essa burocracia reclamam da falta de acesso aos médicos, eu mesmo uso fluoxetina e só consigo consultas de 4 em 4 meses, então passo dois meses sem o medicamento. Os clientes reclamam do tempo pra preencher as receitas, e reclamam do fato de não poderem trocar um medicamento por outro, e também de terem de trocar receitas por causa de errinhos, como um número mal escrito que parece outro. É importante orientar e explicar ao clientes a situação, e não apenas dizer que não pode vender, mesmo porque, quem usa controlados geralmente usa por um tempo longo.

    Espero ter podido esclarecer alguns pontos que geralmente provocam conflitos...

    ResponderExcluir
  23. Bom dia
    Minha médica me prescreve o sal - cloridrato de sibutramina e me disse que com esta receita posso escolher por exemplo um generico , ou síbus ou vazi, e é assim que compro em uma das farmacias da minha cidade, quando tem, porem as outras farmacias entendem que se ela prescreve o sal, nao podem me vender Vazi, nem sibus, somente generico, afinal, qual deles é sal, qual é similar e qual é generico?me ajude por favor , porque todo mes é a mesma coisa, visto que as farmácias não tem a medicação, e todas me oferecem biomag. me ajude por favor.
    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Renata..sou atendente de farmacia e sempre me deparo com perguntas como a sua. É o seguinte, o generico pode ser dispensado se na receita estiver prescrito o sal ou o referencia desse sal, no caso da sibutramina seu referencia não esta sendo mais fabricado..por isso se o generico for prescrito vc só podera comprar o genérico. Sibus e Vazi são similares..similares não podem ser intercambiados..sendo assim uma vez prescrito só sera permitido a venda do tal.Se vc quer comprar o generico peça pra sua medica prescrever o sal (sibutramina)! Lembrando que Biomag tbm é similar e só podera ser dispensado se o nome BIOMAG estiver na receita. Espero ter te ajudado =)

      Excluir
  24. Oi,
    gostaria de saber se ao lançar o produto no sistema ao comprar, o sistema automaticamente lança a data da receita médica também?

    ResponderExcluir
  25. Atualmente as farmácias e drogarias utilizam o SNGPC para o registro de medicamentos controlados. Mas e os dispensários e farmácias públicas?

    Continuam apenas com os livros de papel ou existe algum programa eletrônico para auxiliar no registro? Encontrei referências a um programa (GNMC) disponibilizado gratuitamente pela EMS, mas não há links na EMS e o site da produtora (http://www.gnmc.com.br) esta fora do ar. Alguém sabe onde posso encontrar uma cópia do tal programa?

    E há alguma previsão da liberação do SNGPC da Anvisa para as farmácias públicas?

    Aproveito para parabenizar o autor do blog pelo bom conteúdo apresentado.

    ResponderExcluir
  26. ola amigos alguem pode me ajudar meu medico receitou para mim tomar 15 tylex mais a farmacia so vende cx de 12 ou 24 me derao o de 12 pois falarao que nao podiam dar o de 24 mais iai como fica meu tratamento ? ainda chamarao o medico de burro

    ResponderExcluir
  27. Boa noite a todos!

    Tenho pouco tempo de formado e não sei como fazer os calculos de venda de contrlado em gotas,alguem pode me ajudar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1ml =20gts então 10ml=200gts 20ml=400gts. Se na receita o prescrito é 1 vez por dia 5gts, então um frasco de 400gts/5gts ao dia= 80 dias de uso.

      Excluir
    2. Alguns conta-gotas podem necessitar de mais ou menos gotas para compor 1 mL, é importante verificar na bula do medicamento para fazer a conversão. Abraço

      Excluir
  28. boa tarde pessoal, preciso saber se voçes tem este remédio IMIPRAMINA DE 25 .MG, ESTOU PROCURANDO A DIAS E NÃO ACHO AGUARDO A RESPOSA.

    ResponderExcluir
  29. Primeiro parabéns pelo texto.
    Bem todos estão colocando em questão a venda legal de medicamentos, e o abominável jeitinho brasileiro. Eu concordo que para termos um País melhor é necessário uma boa conduta por parte do comerciante e do cliente e ponto.
    Agora ninguém pensou que para comprarmos um simples medicamento para uso em um caso que pode ser diagnosticado por qualquer um, é também necessário uma visitinha a um consultório médico.
    Será que ninguém consegue enxergar que existe uma certa máfia agindo por trás destas proibições?
    Médicos, convênios, governo, todos eles concordam com essa regra que se generalizou para tudo, hoje só podemos comprar shampoo e pasta de dente na farmácia praticamente.
    Por que para uma simples gripe temos que passar por um médico? Nós sabemos o que pode ser um caso grave, ou não na nossa saúde, aliás, somos responsáveis pelos nossos atos.
    A hipocresia é tão grande que é possível comprar drogas tão facilmente hoje em dia, e todos sabem o tipo de droga que eu digo.
    Mas na farmácia não é possível comprar um cataflan para curar uma luxação. Que bosta!
    Acho que tem algo podre no ar.

    ResponderExcluir
  30. Com relação ao comentário "Brasileiro reclama que os políticos enganam, roubam o povo, etc. Mas quando é com eles, aí pode tudo! Pode passar por cima da lei, fazer o que for preciso para levar alguma vantagem. É o famoso (e abominável) "jeitinho brasileiro"..." gostaria de dizer que houve uma grande inversão de valores neste comentário. O fato real é: "SIM, OS POLÍTICOS PODEM TUDO, ROUBAR, ENGANAR, FRAUDAR, EXONERAR OS COFRES PÚBLICOS, TEREM O DIREITO DE NÃO SEREM PRESOS, ETC... (SE EU FOR COLOCAR TUDO AQUI PRECISARIA DE PELO MENOS 1000 PÁGINAS), OU SEJA, FAZEREM USO DESMEDIDO DO "JEITINHO BRASILEIRO", AO PASSO QUE O BRASILEIRO AO QUAL VOCÊ SE REFERE, O TRABALHADOR, O APOSENTADO, O ASSALARIADO, ENFIM PESSOAS QUE LUTAM DE MANEIRA ÁRDUA PARA GANHAR O SEU PÃO DE CADA DIA, ESSES "NÃO!"; ESSES NÃO PODEM FAZER USO DO "JEITINHO BRASILEIRO", ESSES NÃO PODEM TUDO (ALIÁS, NÃO PODEM NADA). ESTES, PODEM TER SIM, DEVERES. E AI DELES SE NÃO CUMPRIREM. MAS DIREITOS! "PASSAR POR CIMA DA LEI..." EXISTE ALGUÉM MAIS HÁBIL PARA FAZER ISSO DO QUE POLÍTICOS???

    ResponderExcluir
  31. SOU FAMACEUTICO E QUERO PARABENIZA-LO PELO BLOG QUE É DE SUMA IMPORTANCIA QUANDO SE TRATA DE LEIS , ACHO IMPORTANTE QUE AS PESSOAS ANTES DE CRUCIFICAR FARMACEUTICO E/OU GERENTE DEVERIA ESCLARECER-SE DA LEI A QUAL DEVE SER SEGUIDA APENAS CUMPRIMOS A LEI.....

    ResponderExcluir
  32. Tenho uma dúvida: as substâncias da lista A2 que constam em adendos portaria 344 como tramadol e codeina são dispensados para 60 dias de tratamento pois vem prescrito na receita de controle especial ou são dispensados para 30 dias mesmo sendo vendido nesta receita?
    Isabel

    ResponderExcluir
  33. Oi, sou farmacêutico e ultimamente tenho recebido receitas de controle especial como o exemplo a seguir:
    MEDICAMENTO TAL ............................3 CX
    O-O-1.

    O que significa esse O-O-1?!

    Segundo comunicado por escrito do próprio prescritor essa é uma convenção usada em todo o Brasil e significa 1 comprimido à noite? Isso procede?
    Pode-se dispensar medicamentos controlados com uma prescrição dessas?!

    ResponderExcluir
  34. Boa tarde!! gostaria de saber se por exemplo tenho uma receita com:
    medicamento tal>>>>>>>>>>>>>>>>>>> 10 cp
    1 comp 8/8 h se dor
    e na farmácia diz que só tem de 20 cp! NÃO PODE SER VENDIDO??

    ATT JU

    ResponderExcluir
  35. Uma dúvida grande apareceu essa semana, num mesmo dia recebemos 5 receitas do mesmo médico, mas preenchida com 5 letras diferentes. Provavelmente a secretária dos postos de saúde que preencheram, isso é permitido? Quem garante que o médico assinou depois que outros pessoas preencheram? Ou o médico pode deixar o receituário controlado assinado em branco? Pelo código de ética médica, NÃO! E pela ANVISA? Já que na 344 diz apenas letra legível.

    ResponderExcluir
  36. Gostaria de saber o seguinte: Minha receita pedia três frascos de medicamento controlado. Tipo 60cp tomar 3cp 3x/dia. A embalagem é de 20 comprimidos. A balconista disse que não tinha 3 vidros, somente 2. Comprei os dois para não ficar sem. O que acontece com o terceiro frasco que pedia na receita? Como a farmácia contabiliza estas situações: A venda foi de dois frascos mas a receita de três?
    Silvia Maria
    Porto Alegre-RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Já que você só pegou dois frascos e na receita havia três, você fica com o crédito de um frasco a mais! O correto seria que a balconista anotasse atrás da receita que você só pegou dois vidros, e através do controle interno, você pode informar a situação e pegar o outro frasco que está sobrando! Vale lembrar que o medicamento controlado só tem validade de um mês.

      Excluir
    2. Henrique, na verdade, o farmacêutico pode até esperar chegar o outro frasco e efetuar a dispensação para agradar a cliente. Outra coisa, medicamentos controlados só podem ser dispensados por farmacêuticos, mas sabemos que na prática isso não ocorre, ou seja, balconistas também dispensam. Enfim, neste caso, quando um paciente compra apenas 2 frascos de uma receita em que ele pode adquirir 3 frascos, o farmacêutico deve lançar no SNGPC apenas esses 2 frascos dispensados, não deixando "sobra", pois isso é, de fato, ilegal. Obs. Sou farmacêutico (há 2 anos) responsável de uma drogaria, mas trabalho no ramo há mais de 10 anos, por isso afirmo o que está escrito acima com conhecimento de causa.

      Excluir
  37. Ola ... gostaria de tirar uma duvida... eu tomo Remédio faixa preta e todos os meses tenho que Voltar no medico pra pegar a receita. Ai na minha última receita eu mudei a quantidade de caixas de um para dois pra nao ter que voltar ao médico naquelet mês..Quando fui comprar llógico a farmacêutica percebeu e so me vendeu uma caixa... Gostaria de saber se ela poderá ser punida ,porque a receita tava rasurada ou se ela agiu corretamente. .. e se isso pode ocasionar algum problema pra mim... Hoje reconheço que foi um ato impensado. .. nao queria prejudica lá e nem me prejudicar. ..

    ResponderExcluir
  38. Boa tarde!
    Tenho uma dúvida, recebi uma receita que estava preenchida toda ela de caneta azul menos a assinatura do médico!
    Pergunta conferi todas as informações estavam corretas do receituario e do medico dispenso ou não o medicamento? Tem alguma coisa na legislação que fala algo de receitas com cor de caneta diferentes?

    ResponderExcluir
  39. Boa tarde, o que é feito com as receitas de medicamento controlados que ficam nas farmácias. por ex a de sibutramina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elas ficam retidas. Guardadas na própria farmácia por 5 anos.

      Excluir
  40. Tenho uma dúvida: menores de idade podem comprar medicamentos comuns, como captopril, losartana, entre outras substâncias que não seja controlados?

    ResponderExcluir
  41. Sou balconista de uma grande rede de farmácia e estou enfrentado um problema,um cliente chegou no balcão e solicitou a venda de uma subtramina analisei a receita e o termos tudo certo,mas no meu consciente ficou o pedido subtramina e acabei liberado o slinfg,porém na receita tinha biomag. Somos obrigados a trabalhar finais de semana e feriados sem farmacêutica e obrigados a vender controlado. Devido a esse erro tomei advertência e como não conseguir uma outra receita estou preste a tomar uma suspensão. Quero levar o caso a justiça pois estou sendo punida por um ato que não é de minha responsabilidade. Gostaria de um parecer sobre isso. Obrigada

    ResponderExcluir
  42. Olá, primeiro parabéns pelas informações contidas neste blog. Eu tenho uma dúvida, meu medido que prescreve receitas controladas brancas a azuis tem como saber se realmente estou utilizando(comprando) esses medicamento, através de algum tipo de controle pela receita x farmacia? Ex. se essas receitas foram baixadas ou algo do tipo. Isso é porque ele ta me passando dosagens muito altas e eu nao concordo, mas como é medico de familia nao gostaria de criar atrito....

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde, eu uso medicamento controlado(médico psiquiatra), geralmente compro meus remedios na mesma farmacia em funçao de valores. Outro dia a farmacia ligou pra minha casa dizendo que minha receita estava com irreularidades e rasuras, entretanto na hora da venda nao me foi comentado nada... Eu nao mexi em nada na receita, mas eles usaram um tom ameaçador de fraude, como pode???Se o medico preencheu algo errado eu tenho a ver com isso? O medicamento ja esta quase ao final da utilizaçao. O que devo fazer? Essas receitaspassam por alguma fiscalizaçao, nao é de responsabilidade do atendente verificar se a receita esta correta?Me audem

    ResponderExcluir
  44. O cliente solicitou a medicação, a receita era de clonazepam, carimbei e retive a receita, porém ao passar no caixa o cartão dele não passou e tive que devolver a receita, como proceder para que ele possa comprar em outro estabelecimento? o mesmo caso para a receita branca.

    ResponderExcluir
  45. Olá, tenho uma dúvida. Até agora, lendo e relendo a portaria 344 e etc, não consegui encontrar nada a respeito da venda de medicamentos controlados sendo um genérico e um referência. Isso pode acontecer? Se, por um acaso,uma receita receita de 2 frascos de Rivotril, na prateleira só há 1 frasco, pode-se vender o outro frasco genérico?! Desde já, agradeço.

    ResponderExcluir
  46. Trabalho numa grande rede de farmácias, fiz duas vendas de antibiótico errado, uma com aval apenas verbal da farmacêutica e outra com aval escrito de um colega,nos dois casos o cliente não chegou a abrir a caixa de med, eu liguei a tempo para vir trocar , mas eles me obrigaram a compar o med. errado e "fabricar" uma receita para ele, até onde está errada esta situação, agora estou com 3 caixas de antib. em casa que não me serve para nada e um prej de 100,00 no bolso.

    ResponderExcluir
  47. Gostaria de saber aparti de que idade uma pessoa pode ir ate a farmácia comprar o remédio sozinho(a)? Ou se depende do tipo de remédio que vai comprar? Por exemplo: um menino de 13 anos pedo ir comprar um suplemento vitaminivo ou remédio pra dor de cabeça ou...sozinho na farmácia? ~obrig pela atenção~ Espero as respostas!

    ResponderExcluir
  48. o mais engraçado de tudo é que o CRACK não precisa de receita e é vendido livremente em qualquer esquina e não precisa de receita controlada, faço uso de remédios para não usar essa maldita e não consigo comprar por conta dessa maldita lei e dos médicos e das farmacias que são um bando de carniceiros satânicos !!!

    ResponderExcluir
  49. Já pararam pra pensar no desespero de um pai ou uma mãe que tem um filho doente e necessita de medicamento controlado e a medicação acabou e quando vai comprar se depara com a receita rasurada ou mesmo com a data errada ou as mg erradas por erro do próprio médico, em pleno fim de semana que você não encontra medico, e sabe que seu filho não pode viver um dia sem aquela medicação, gente isso é uma maldade com o ser humano. Porem os bares estão ai vendendo drogas para os adolescentes livremente, ai vcs vem me falar de lei, que lei é essa? Não dar pra eu entender certas coisas dessa sociedade, desse Brasil

    ResponderExcluir
  50. Levantamento aponta que 35% das farmácias e
    drogarias do país não tem farmacêutico em período
    integral
    Farmácia é multada por não ter farmacêutico em tempo integral
    A Lei 5.991 de 1973 (Art. 15, § 1º) determina que toda farmácia e drogaria é obrigada a ter um farmacêutico de plantão durante todo o período de funcionamento do estabelecimento.

    ResponderExcluir
  51. (que ultrapassaria sem necessidade o número de comprimidos para este período de tratamento).

    Que período de tratamento é esse? Onde está previsto esse período de tratamento?

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Carregando...

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...