sábado, 27 de agosto de 2011

Venda de medicamentos controlados

Hoje vou falar sobre a venda de medicamentos controlados, do ponto de vista de quem está atrás do balcão da farmácia: os farmacêuticos (e seus companheiros de trabalho).

Trabalhar com medicamentos controlados não é a coisa mais agradável do mundo! Muita documentação, legislação, detalhes... Tudo deve estar certinho! Caso contrário, o farmacêutico e o gerente podem até sair algemados, nos casos mais graves! Indiciados por tráfico de drogas!!!

Mas estou escrevendo este post-desabafo, inspirado pelo que aconteceu comigo ontem. Entrou um casal de clientes na farmácia. O senhor já era bem conhecido nosso, um cliente costumeiro. A mulher que estava com ele não, era a primeira vez que eu a via. Ele até comentou: "Esta é a minha esposa"... Pois bem. Ela sacou uma receita azul (na verdade uma notificação) da bolsa. Facilmente percebe-se que se trata de algum medicamento tarja-preta. A funcionária que a atendeu buscou o medicamento, e  trouxe-me a receita para que eu pudesse conferi-la. Neste momento, notei  que a data estava rasurada...

Pausa para explicações:

As receitas de medicamentos controlados têm validade de 30 dias. Depois disso, elas não podem mais ser usadas. Também não podem conter rasura. Nem na data, nem no nome do medicamento, nem na quantidade, nem na dosagem... Em nada! Não fui eu que inventei isso! É lei:

Portaria 344/98 - CAPÍTULO V - Art. 35


§ 3º A Notificação de Receita deverá estar preenchida de forma legível, sendo a quantidade em algarismos arábicos e por extenso, sem emenda ou rasura.

§ 4º A farmácia ou drogaria somente poderá aviar ou dispensar quando todos os itens da receita e da respectiva Notificação de Receita estiverem devidamente preenchidos.



Continuando a história...

Então, fui obrigado a informá-la de que o medicamento não poderia ser vendido, porque havia uma rasura na data (2 tons de azul formando um 8 sobre o que parecia ser um 6 - uma rasura bem grosseira, diga-se de passagem! Já vi melhores...)! Pronto! Começou o escândalo:

(Legenda: Eu, o Gerente, a Senhora, o Marido. As frases todas em maiúsculas significam GRITANDO. Sim, a mulher estava um tanto alterada...)

- AONDE VOCÊ VIU RASURA AQUI?
- Minha senhora, na data! Tem 2 cores de caneta aqui...
- MAS O MÉDICO PREENCHEU NA MINHA FRENTE! EU VI!
- Tudo bem, mas mesmo que ele próprio tenha rasurado, não posso aceitar a receita.
- VOCÊ ESTÁ IMPLICANDO COMIGO!!! (Paranóia???)
- O que aconteceu?
- ELE ESTÁ FALANDO QUE A RECEITA ESTÁ RASURADA!
- Onde está a rasura?
- Aqui na data, senhor...
- Mas você não vai vender por causa disto?
- Pois é, senhor. Infelizmente não posso.
- Mas eu já compro aqui há muito tempo, você me conhece... Não dá pra dar um jeito?
- Não tem como! É a lei! O senhor quer que eu passe por cima da lei?

Pausa  #2 - Comentários

Brasileiro reclama que os políticos enganam, roubam o povo, etc. Mas quando é com eles, aí pode tudo! Pode passar por cima da lei, fazer o que for preciso para levar alguma vantagem. É o famoso (e abominável) "jeitinho brasileiro"...

Continuando...

Nisso, entra o gerente, perguntando o que estava acontecendo. Mostro a ele a receita, explico a situação. E ele corrobora minha opinião:

- É verdade, senhores. A receita está rasurada.
VOCÊS NÃO QUEREM ME VENDER O REMÉDIO!!!
- A troco de quê não venderíamos? Aqui é um comércio, precisamos vender coisas! Se não estamos vendendo, é porque tem algum motivo, concorda?
- VOCÊS IMPLICARAM COMIGO!
- Quem foi que viu a rasura?
- Fui eu, senhor.
- Tudo bem. Se vocês não vão me vender, eu nunca mais volto aqui. E vou avisar minha família pra nunca mais voltar aqui.
- É um direito seu.
- E tem mais. Meu filho trabalha na Polícia Federal. Espero que esteja tudo certo aí na sua farmácia... (uma ameaça???)

Infelizmente, este não é um caso isolado. Sempre que acontece algum tipo de problema com a receita, que inviabiliza a dispensação do medicamento, as pessoas parecem ficar anormalmente alteradas! Eu não estou recusando a venda porque eu quero, ou porque não fui com a cara do cidadão! Eu simplesmente não posso vender!

E quero aproveitar para dizer que, embora haja muita gente falsificando receitas, grande parte dos problemas é causada pelos médicos! Muitas receitas são preenchidas de maneira incorreta. Isso gera situações constrangedoras para quem vende os medicamentos, e desagradável para o paciente que precisa tomar seu remédio e não pode comprá-lo por um erro estúpido.

Médicos, por favor! Vocês sabem o que deve ser feito ao preencher as receitas! Muitas vezes, nem a data é colocada! E o paciente fica realmente indignado (e com razão) por não poder comprar o remédio apenas porque a data não foi preenchida!

Pacientes, cobrem de seus médicos o preenchimento correto de suas receitas (inclusive de forma legível), para evitar transtornos na hora da compra!

Mas não tentem dar um jeitinho na hora da compra! Se quisermos viver num país melhor, não será passando por cima das leis que alcançaremos este objetivo. Pensem nisso...





Pesquisar este blog

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...